Plano para 2016

Tenho trabalhado em jam sessions faz mais de 20 anos, e obtive resultados que gostaria de destacar.

Aumento significativo de indicações para minhas aulas.

Amigos que fiz nos jams guardam experiencias em comum  que tornam a amizade duradoura.

Como um dos motivos desses jams acontecerem é o compartilhamento, torna-se maior a possibilidade de arquitetar e executar ações sociais devido ao apoio dos participantes. (graças aos jams consegui um emprego no departamento Jovens sem fronteiras na hebraica, onde montamos eu e meus antigos alunos uma equipe que já atua a mais de 6 anos em várias ações sociais.Conseguimos remuneração aos participantes do departamento)

Socialização. Os jams são baladas do bem onde muita gente se cruza e possibilita convivência social produtiva.

Surgimento de bandas. Pessoas que não se conheciam, tocando juntos em jams, acabaram formando bandas e gravaram cds. Várias bandas que tem o selo Risco, surgiram em jam sessions no Café Aprendiz  e estão atuantes.

Indicações. Como minha rede de conhecidos vai sempre aumentando acabo indicando amigos que estão a procura de clientes ou trabalho. Já consegui trabalho remunerado para bastante gente e me sinto muito bem com isso.

Neste ultimo ano descobri que um jam é também um local de trabalho. Mantive um jam semanal que chamei de aulão, e percebi que quem precisava estudar, preferia estudar ali com os amigos do que em casa. Também levando bambolês e violões para decorar, ao fim do jam já tive vários trabalhos finalizados que acabei vendendo.

Contratando pessoas especializadas para dar oficinas nos jams (fiz duas oficinas de yoga e de bambolê com instrutores convidados) observei uma ótima reação dos participantes no sentido do aprofundamento com a atividade.

Baseado nisso tudo quero para o ano que vem montar um calendario de jams nos seguintes formatos:

Aula com convidados ( Micro-micro-jam) apresento as ideias ao aluno convidado integrando pessoas novas.

Jams espontâneos de até 12 pessoas sem roteiro (Micro jam)

Jams com oficinas “profissionalizantes” , por enquanto oficina de coockie, de bambole, pintura de violões, de yoga, de estampa de camisetas, de fotografia, e de teatro (Micro Jam Oficina).

(Big Jams) jams para desde 50 a 400 pessoas com bazares dos produtos fabricados por nós e outros convidados para a feira.

Pretendo ainda este ano montar uma equipe para definir datas, estratégias, cadastro, sugestões, o projeto chama-se cidade escola e acolhe a todos interessados em participar. As responsabilidades vão surgindo e se amoldando às iniciativas dos participantes que tem total flexibilidade de escolher como e quando querem participar.

Vendas de produtos fabricados nos jams ajudam a sustentabilidade do projeto como um todo.

Abraço da redonda Batata

Jams felizes

Clique aqui para conhecer videos de alguns jams

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: